Em breve, site Trilhos do Rio !

Aguardem ... vem aí o site Trilhos do Rio, com muitas atrações e informações sobre os trilhos do estado do Rio de Janeiro !

Em breve, site Trilhos do Rio !

Informações e curiosidades sobre estações, linhas e ramais existentes, ou desativados ...

Em breve, site Trilhos do Rio !

Transportes sobre trilhos é aqui: Trem, Bonde, Metrô, VLT e muito mais !

Em breve, site Trilhos do Rio !

Participe você também ! Colabore com informações, matérias e postagens !

Em breve, site Trilhos do Rio !

E isso é só o começo ... aguardem !

domingo, 27 de abril de 2014

Santa Teresa, Petrópolis e os trilhos

POR JULIO CESAR


Santa Teresa é um bairro singular! A começar pelo fato de se situar todo no alto de um morro, de alguma forma isolada dos bairros vizinhos.
Vista de Santa Teresa - Fonte: Adriana Paiva

É grande, bonito e cheio de particularidades. Casario histórico antigo em harmonia com o moderno. Mirantes, gradis e postes clássicos se encontram ali.
Como se não bastasse,há lugares de intenso interesse e que são itens oficiais das atrações turísticas do bairro:
  • Convento de Santa Teresa
  • Parque das Ruínas
  • Escadaria Selarón
  • Ladeira dos Meireles
  • Curvelo
  • Largo do Guimarães
  • Largo das Neves
  • Centro Cultural Laurinda Santos Lobo
  • Museu Casa de Benjamim Constant
  • Museu Chácara do Céu ...
Como se não bastasse o bairro ser lindo por si só, podendo ser admirado apenas caminhando-se nele, dele se avistam pontos turísticos cariocas fora dele, como o Cristo, a Guanabara e o Maracanã.
Esse maravilhoso centro turístico dá acesso a outros, como Lapa e Centro, Aterro do Flamengo, Cosme Velho, Mirante Dona Marta e Cristo Redentor. É realmente um bairro intenso, rico!


Bonde de Santa Teresa - Fonte: Soul Brasileiro

E para ligar tantos lugares em um, existem os trilhos e bondes de Santa Teresa! Eles são mais uma atração turística, os bondes que restaram depois de sua extinção por toda a cidade, ou toda parte abaixo do bairro. E o bonde vai voltar, todos querem, moradores e visitantes, todos o amam! Ah, e o Museu do Bonde é mais uma atração do bairro!

Museu do Bonde - Fonte: Roteiros da Lu


Assim como a pequena “cidade” de Santa Teresa, há uma cidade distante pouco mais de 60km dali, Petrópolis, que também fica no alto, bem no alto, de montanhas! Também tem atrações espalhadas por sua extensão,como:
  • Palácio de Cristal
  • Casa de Santos Dumont
  • Museu Imperial de Petrópolis
  • Hotel Quitandinha
  • Catedral de São Pedro de Alcântara
  • Parque Cremerie
  • Casa do Colono
  • Trono de Fátima
  • Palácio Amarelo
  • Castelo Barão de Itaipava ...
Museu Imperial - Fonte: Governo RJ


Há uma que injustamente foi arrancada da cidade, importantíssima e que a ela serviu e poderia e deveria continuar estar servindo, e que se assemelha com Santa Teresa: os trilhos! Não os dos bondes, que acabaram muito cedo, mas os da E.F.Príncipe do Grão-Pará, que era uma encampação e continuação da E.F.Mauá, nada menos que A PRIMEIRA FERROVIA DO BRASIL, mais do que um motivo para ser preservada!

Fonte: Google

Ela se constituiria em mais uma atração turística, juntamente com a estação central, aos trens devolvida. Tão importante também porque traria passageiros indiretamente do Rio, seja vindos do trem urbano, seja vindos de embarcações em Guia de Pacobaíba. Na subida da serra, a exuberância da mata com a visão panorâmica da baía de Guanabara, algo bem parecido com o passeio no trem do Corcovado.


EF Corcovado - Fonte: Rio Total


Seria um passeio obrigatório, fazendo o turista, ao chegar, escolher onde ir e o que fazer num lugar intenso de atrativos. Quem sabe andar de charrete pelo centro histórico? Quem sabe deixar o carro e o ônibus de lado?
Esse texto daria um livro!

domingo, 16 de junho de 2013

#Vem pra rua ... com respeito !

Nos últimos dias vimos através das TVs em todo o mundo, e também pessoalmente, o nascimento de um movimento nacional contra o abuso por parte do governo em relação ao custo de vida no país, mais especificamente no que toca ao preço das passagens de ônibus.
Claro que os protestos organizados e promovidos durantes estes dias não se aplica apenas a isso, R$ 0,20 a mais no valor das passagens em determinadas cidades.




É voltado ao absurdo em que se encontra a administração do nosso querido Brasil: inflação maquiada, saúde doente com hospitais sucateados, educação deficiente, salários baixos (não os dos políticos), muitos e altos impostos, transporte caro e ineficiente , alimentos a peso de ouro, corrupção, criminalidade, enfim ... tudo isso acumulado e muito mais, que naturalmente, uma hora ou outra, geraria uma revolta e uma série de protestos e manifestações para mostrar que não dá pra aguentar mais, até porque se piorar mais do que agora, só explodindo o país.




 


O que se viu nesta semana foi um movimento organizado nas redes sociais (Facebook e Twitter, entre outras) com a intenção de promover passeatas, protestos, manifestações pacíficas e até bem-humoradas nas grandes cidades de modo que chamasse a atenção das "autoridades" deste país para perceberem que não estão comandando uma massa estática, manipulável facilmente, estão governando um país que pode ser considerado o melhor do mundo, de maneira totalmente errada e mal-intencionada, no qual a única boa intenção é com o próprio bolso. Enquanto as "autoridades" estão nem aí para a população, viajando quando bem entendem, curtindo um fim de semana no caribe, arrecadando impostos e colocando no bolso ou aplicando de maneira indevida (#Imagina a festa), a população está enlatada dentro de uma condução procurando socorro em hospitais públicos longe de sua residência sem a certeza de ser atendido.



 
A Verdade sobre a Copa
Fonte: Youtube
 
 
 
Bem, mas o que tem a ver a equipe "Trilhos do Rio" com isso tudo ? Muita coisa ! Somos um grupo que foi criado para dialogar, promover, divulgar, sugerir e estudar diversos campos na matéria de transportes, sendo a área de transporte sobre trilhos nosso foco principal. Mas não ficamos apenas nisso, todos os meios de transporte são debatidos, pois lutamos também pela integração e por um direito primordial do ser humano, que é o direito de ir e vir. E o que se vê no Rio de Janeiro ? Abaixo enumero alguns ítens que podem parecer absurdos em um primeiro momento, mas leia de novo e veja se não é verdade na maioria dos casos:
 
  • Ônibus em quantidade e qualidade irracional sendo dirigidos por muitos motoristas despreparados, formados em caráter de urgência (em poucas semanas), estressados, explorados e mal remunerados. Resultado: acidentes, mortes, congestionamentos, poluição, estresse etc;


Fonte: O Globo


  • Táxis sem fiscalização, taxistas extorquindo passageiros, tarifas altas, etc;
 



  • Motori$ta$ fazendo o que querem, desrespeitando as leis de trânsito (esqueceram tão rápido das aulas de auto-escola, isso se fizeram), dirigindo embriagados, recorrendo contra multas justas, ganhando pontos na carteira e dando de ombros, desrespeitando ciclistas e pedestres, etc (os $$ foram intencionais);

 
 

  • Sistema de transporte alternativo muitas vezes mal gerido, mal administrado, operado por máfias disfarçadas de cooperativas e com vans dirigidas por motoristas em alguns casos até sem habilitação, fazendo o que querem nas ruas;





  • Ciclovias insuficientes, mal feitas, esburacadas, desrespeitadas por motoristas; e ciclistas sem noção de trânsito suficiente (andando sobre calçadas, avançando sinais), em muitos casos;
 

Fonte: Jornal O Dia

  • Aeroportos saturados, ultrapassados, sem infra-estrutura necessária para grandes eventos e nem mesmo para a demanda normal de passageiros de rotas domésticas e turísticas;

Fonte: O Globo

  • E para quem utiliza outros meios de transporte, ou mesmo anda a pé, eu pergunto: sente-se seguro em transitar nas calçadas da sua cidade ?


Quem lê esta lista pode estar pensando "Ah ... mas e os trens ? E o Metrô ? Não vai falar mal não ? Vai defender só porque é sobre trilhos ?" Claro que não, sabemos da situação, e separei esta categoria porque temos muito a debater. Vejam:
 
  • Recebemos e estão chegando mais trens novos, e os que eram utilizados estão sendo reformados, equipados com ar-condicionado e modernizados. Mas mesmo assim, há problemas ? Sim, pois a quantidade não vai aumentar, os trens novos apenas substituirão os antigos, na maioria dos casos. Os intervalos não vão dininuir (apenas com a modernização na sinalização vemos uma possibilidade de melhora, mesmo assim, insuficiente), a super-lotação continuará, e a quantidade de linhas se manterá a mesma ...


Foto: André Vasconcellos



  • Quando voltará a funcionar a linha Santa Cruz-Itaguaí ? Quando a linha for totalmente tomada e ocupada por moradias de baixa renda ? Quando o trânsito na BR-101 (Sul) se tornar impraticável, e hoje em dia em determinadas situações já o é ?


Estação Itaguaí, em época que ainda funcionava para trens



  • E o VLT de Macaé, que já recebeu composições,  que estão expostas ao tempo enferrujando sem previsão de operar, um verdadeiro crime eleitoral e com o nosso dinheiro, cometido pela administração anterior da cidade ?


Foto: Eduardo P.Moreira (Trilhos do Rio)



  • Será que será construída realmente a verdadeira linha 4 do Metrô, via Gávea, Jardim Botânico e Laranjeiras ? E a linha 3 ? Virará novela da Globo ou vai sair do papel em Niterói e São Gonçalo, chegando ao Rio de Janeiro por baixo da Baía de Guanabara, um projeto e intenção que tem mais de 100 anos ?!?!


Relatório Ministerial da Viação e Obras Públicas de 1903
descrevendo o projeto de uma ferrovia sob a Baía de Guanabara


  • E a Estrada de Ferro Mauá ? Esse é um motivo para sentir nojo de político, sentir uma imensa vergonha ... a pioneira ferrovia do nosso país, largada, virando sucata, memória hitórica apodrecendo aos olhos da população que poderia ter uma opção de transporte decente (viajar horas e horas de ônibus até a cidade do Rio de Janeiro é caro e sacrificante) com interligação via barcas ... desativada por completo em 1982, e com a luta de associações pelo seu retorno há mais de 25 anos ainda não teve um dormente reassentado ?

Foto: Eduardo P.Moreira (Trilhos do Rio)



  • O Bonde de Santa Teresa vai voltar ? Quando ? Quando inventarem a máquina do tempo e pudermos retornar ao século XIX, época de criação da linha ? Espero que seja antes disso ...

Acidente com o Bonde de Santa Teresa
Fonte: Estadão



  • Quantas mortes serão necessárias nas rodovias para que se implemente linhas ferroviárias de passageiros de média e longa distância ? Apenas na BR-101 (Norte) são mais de 300 mortes por ano. Isso sem falar nas dezenas de horas perdidas em congestionamentos ...


Fonte: Portal G1



  • E issso sem falar nos projetos tão comentados mas não implementados, como a linha ligando Bonsucesso à Ilha do Governador, Trens Turísticos, etc etc


Para quem lê esta postagem, pode achar estranho ou sem nexo os comentários e indagações feitas acima, quando se começou o texto falando sobre protestos e manifestações ocorridos recentemente, e que ainda estão sendo promovidos e não vão parar tão cedo (nem com a violência policial, nem com a intervenção de quem seja). Mas eu explico: estão protestando contra as "autoridades", não apenas por um reajuste nas tarifas de ônibus ! Temos muitos motivos para protestar, e no âmbito em que tratamos aqui no grupo "Trilhos do Rio" também temos motivos de sobra para reclamar e exigir: transporte público eficiente, decente, justo, racional e abrangente, democrático, acessível e que realmente faça-nos possível ser o direito de ir e vir normalmente.




Fonte: O Globo


 
Se você concorda com o exposto, #VEM PRA RUA você também. Mas com respeito ao próximo, paz no coração e a certeza de que está certo nas suas atitudes, correto no seu ponto de vista, e exercendo o seu direito de cidadão, de lutar por um país melhor, justo e correto, que sirva de orgulho para nós e nosso descendentes. Os próximos passos serão dados nas urnas, então tenha consciência.


Fonte: Portal G1


 
Para quem não concorda, e é a favor da violência que está sendo aplicada aos manifestantes, pense bem: não queremos deixar nosso filhos órfãos, queremos deixar um país melhor para eles. Sem violência ! Sem violência ! Sem violência !
 



Sem mais para o momento.
 
Desculpe o desabafo.
 
#AcordaBrasil
#OGiganteAcordou
#VemPraRua

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Obras revelam trilhos e peças ferroviárias históricas

As obras do corredor BRT de ônibus Transcarioca tem gerado muita polêmica em vários trechos do projeto. Desde canteiros de obras mal sinalizados até desapropriações e demolições de imóveis tombados historicamente e posteriormente "destombados", as críticas são muitas em um trajeto que também poderia ser atendido satisfatoriamente por trens, uma linha do metrô ou até um VLT ou monotrilho suspenso.


Mapa mostrando o traçado do corredor BRT TransCarioca, em azul.
Ele fará a ligação por ônibus entre o Aeroporto Internacional Tom Jobim e a Barra da Tijuca.
Fonte: Site Cidade Olímpica



Bem, apesar dos problemas, as obras estão sendo executadas em dia e brevemente milhares de pessoas poderão usufruir de um transporte rápido e confortável, segundo os construtores.


Sobre imagem de satélite, o antigo e extinto ramal da Penha da EF Rio d'Ouro, com suas paradas e estações.
Imagem: Google Maps e Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")

Entretanto e curiosamente, a execução das obras tem revelado algo que estudiosos, historiadores e pesquisadores de transporte sobre trilhos já sabiam, mas que têm surpreendido a população: escavações estão desenterrando trilhos, dormentes e outras peças históricas de linhas antigas, de trens ou bondes, que passavam pela região !



Cais do Porto de Maria Angu. Nesta Praia, que foi extinta, existiram dois portos/píers. Um deles foi utilizado pela Cia.Cantareira de Barcas e pela EF Rio d'Ouro para transporte de romeiros do Santuário da Penha durante vários anos
Foto: Internet




Em Vaz Lobo, foram revelados durante escavações, trilhos da linha de bondes que atendia o bairro até a década de 1960. Segundo operários da obra, os trilhos serão retirados e expostos à população em algum local, como peças históricas. Se isso realmente se confirmar, será uma bela iniciativa.

Trilhos de Bonde no bairro de Vaz Lobo
Fotos: Marcia Almeida
Curiosamente, alguns dias depois da descoberta dos trilhos de bonde, a equipe Trilhos do Rio recebeu a preciosa informação do amigo Adriano Santana, via Facebook, de que as mesmas obras da Transcarioca estariam revelando algo com valor ainda mais raro e praticamente inédito em matéria de registros históricos: dormentes e pinos de fixação ferroviários estavam sendo encontrados durante escavações na Avenida Vicente de Carvalho. Esta avenida teve até a década de 1960 uma linha de bondes (Penha-Madureira) e no começo do século XX um ramal ferroviário da saudosa e enigmática Estrada de Ferro Rio d'Ouro, no caso o Ramal da Penha, que ligava a estação Vicente de Carvalho da sua linha tronco, até o Porto da praia de Maria Angu, às margens da Baía de Guanabara, no bairro da Penha.



Com as escavações feitas, várias camadas do terreno foram revelados. Na primeira, o asfalto da avenida. Logo abaixo, paralelepípedos. E abaixo destes, dormentes do ramal ferroviário !!!
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")
Este ramal foi muito utilizado por romeiros do Santuário da Penha, durante as festividades que ocorrem todo mês de outubro, há muitos anos. A EF Rio d'Ouro disponibilizava trens especiais nestas ocasiões, que transportavam os fiéis entre as estações iniciais (Francisco Sá ou Caju, dependendo da época) e o Largo da Penha, onde existia uma parada para desembarque.
Parte dos romeiros vinham nas barcas da Cia.Cantareira e desembarcavam no cais do Porto de Maria Angu, onde era realizada baldeação para carroças ou os trens da Rio d'Ouro que chegavam também até este cais.

No dia 30 de maio de 2013 os membros da equipe Trilhos do Rio Eduardo P.Moreira, Luis Eduardo Rangel e Carlos Alberto Ramos percorreram o trecho de aproximadamente 5kms e registraram: realmente os dormentes da antiga ferrovia, que deve ter funcionado até a década de 1930, estavam sendo desenterrados e descartados. E mais: pinos de fixação e placas metálicas de apoio também estavam no meio dos escombros. Uma destas placas, bem pesada, foi recolhida por membros da equipe e guardada, com o objetivo de preservação.



Placas de apoio para fixação de dormentes e trilhos, encontrados em lugares diferentes.
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")



Segundo um operário da obra, aparentemente entusiasta do assunto "transporte sobre trilhos", durante a obra muitos dormentes foram encontrador, retirados e removidos junto com entulho, o que é uma pena. Ao contrário dos trilhos dos bondes em Vaz Lobo, estas relíquias terão destino distinto: um aterro sanitário.

Nas imagens acima, um dormente inteiro, e outros parcialmente destruídos durante a operação das máquinas no local.
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")

Amanhã ou nos próximos dias, as escavações que continuam a todo vapor devem revelar mais e mais dormentes, mas possivelmente não deva ter mais trilhos. Estes devem ter sido retirados na época da desativação da linha, assim como os de outros ramais. Um bom exemplo foi encontrado no ramal de Tinguá, há poucos meses atrás: durante mais uma expedição Trilhos do Rio, dormentes (sem trilhos) foram encontrados no antigo leito, hoje uma estrada de barro e terra. A linha no trecho foi desativada ainda na década de 1960, mas os dormentes estão lá, como testemunhas e prova de que, ali naquela região, funcionou uma ferrovia que trouxe muito progresso á diversas regiões da cidade e da Baixada Fluminense, mas que no fim, acabou sucumbindo devido ao próprio progresso que ela ajudou a trazer.
No extinto e saudoso ramal de Tinguá, dormentes semi-enterrados teimam em provar que por ali passou uma ferrovia.
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")


Triste ironia, típica deste país continental e maravilhoso, que teima em renegar os trilhos e apostar nas rodovias ...

segunda-feira, 11 de março de 2013

A Estação de Cava pede socorro !

No dia 10 de março de 2013 membros da equipe "Trilhos do Rio" se reuniram para percorrer o atraente trecho da extinta Estrada de Ferro Rio d'Ouro, entre as estações de Cava e Tinguá, no município de Nova Iguaçu. Este trecho já foi denominado como Ramal de Iguaçu, mas foi notoriamente conhecido com o nome de Ramal de Tinguá. Possuía algumas estações e paradas intermediárias, e como quase todos os outros trechos da ferrovia, acompanhava de muito perto os canos da adutora que captava, e ainda capta, as águas dos mananciais das Serras nos limites da Baixada Fluminense, conduzindo o precioso liqüído a vários bairros da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.
 

Dístico da estação sobre a bilheteria
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")
 
O ponto inicial da nossa expedição, assim como é o ponto inicial de onde partia o ramal de Tinguá, foi a estação de Cava, localizada no bairro homônimo, mais conhecido por Vila de Cava.
 
Parte lateral da estação
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")
 
Ao chegarmos no local, tivemos a surpresa de constatar que a estação não está desocupada, ao contrário: havia várias pessoas, eletrodomésticos usados a venda, e até veículo estacionados no interior do prédio.
 
Muro com um desenho ferroviário e, curiosamente, um poste no meio da rua
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")
 
Este fato nos fez ficarmos apreensivos, ficamos sem saber se iríamos tentar contato com os moradores do local ou não. Como um dos membros da nossa equipe ainda estava a caminho, decidimos aguardar por ali mesmo. Até que um dos moradores, vestido com uma camisa de time de futebol, veio até nós e nos perguntou sobre nossas intenções. Explicamos e surpreendentemente nos convidou para ... conhecer toda a estação, desde a parte externa até o interior, por todos os cômodos !
 
 
 
 
 
A degradação da estação em diversos ângulos. Teto, e paredes destruídas, precariamente recuperadas
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")
 
O morador muitíssimo simpático, chama-se sr.Nilo e é filho de um funcionário da Estrada de Ferro Central do Brasil, que trabalhava no trecho. A sua mãe morava com ele e mais doze irmãos na estação, ajudando a mantê-la. Após a desativação da ferrovia, na década de 1960/1970, a Rede Ferroviária Federal cedeu o espaço para a sua família, segundo o que ele nos contou. Isso garantiria um teto para a numerosa família.
 
Parte da parede dos fundos já caiu. Nota-se um trilho utilizado na estrutura
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")
 
 
Mas infelizmente, nem tudo correu bem: com a falta de conservação, a estação foi se degradando. Parede já ruiram, telhas cairam e parte do telhado já não existe mais. Hoje moram cerca de cinco famílias na estação, com o espaço divido precariamente com lonas, lençóis ou anúncios publicitários. A situação é de calamidade e risco de vida. A estação e a família do sr.Nilo pedem socorro.
 
 
A mesma parede da foto acima, já desabada
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")
 
O INEPAC (Instituto Estadual do Patrimônio Cultural) providenciou o tombamento da estação em 1989, mas este tombamento foi provisório, não definitivo. Segundo o sr.Nilo, os demais órgaõs que poderiam providenciar algo de caráter mais contundente não o fizeram. Alguns representantes da RFFSA, há anos atrás, estiveram no local e prometeram uma restauração e entrega definitiva do imóvel à família, mas nunca mais voltaram
 
Estação de Cava, ainda com a plataforma aparente
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")
 
 
E o mais absurdo dos absurdos: funcionários da prefeitura de Nova Iguaçu estiveram no local e disseram que tem planos de demolir a estação ! O motivo: abrir espaço para a construção de um terminal rodoviário que, segundo eles, descongestionaria o tráfego na região, teoricamente saturada com a quantidade de veículos em determinados horários. Absurdamente absurdo ! ! !
 

Parte posterior da estação
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")
 
Segundo o portal do INEPAC, que fez o tombamento provisório, a estação é uma "construção de dois pavimentos, em estilo missiones simplificado ou californiano, em voga nos decênios de 1930 e 1940. Esta estação difere do estilo classicizante das demais instalações do ramal. A bilheteria, em construção ao lado, tem interessante marquise levemente projetada para fora da platibanda conforme o gosto art déco."
 

Dístico principal da estação
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")
 
Uma preciosidade que corre o risco de sumir, por total incompetência e visão predatória dos governantes.
 

Uma curiosidade: o banheiro da estação
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")


Janelas originais e a pitoresca arquitetura da estação
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")
 
Se alguém puder fazer alguma coisa a respeito, ou que possa nos indicar a quem procurar para que algo possa ser feito, entre em contato, deixando um comentário abaixo.
 

Piso original e na parede, o local onde ficava um banco de espera para os passageiros
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")
 
Não apenas pela preservação da estação e da história da ferrovia, da Baixada Fluminense e do Brasil; mas também pela família que a reside: todos correm risco de vida, com a estrutura da estação em iminente desabamento, como já ocorreu em algumas partes.
 

Banco de espera na parte externa, sobre a plataforma
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")
 
Aproveito para agradecer a todos os membros da equipe "Trilhos do Rio" que estiveram me acompanhando nesta inesquecível expedição (serão divulgados maiores detalhes posteriormente), e também devo meus sinceros agradecimentos ao sr.Nilo e família, que nos recebeu muito gentilmente e calorosamente, compartilhando informações preciosíssimas, através de imagens e um depoimento emocionante gravado em vídeo, que será divulgado em breve.
 

Base de suporte onde ficava a roleta da bilheteria (foto abaixo)
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")

Bilheteria da estação
Foto: Eduardo P.Moreira ("Dado DJ")
 
E vamos lutar com toda força pela recuperação e conservação de Cava ! ! !
 
 
 

Seguidores

Estamparia Trilhos do Rio